ASCEA presente na primeira Sessão Plenária de 2021 do CREA-SC – 21e22.jan.2021 – Florianópolis/SC

A ASCEA esteve presente nos dias 21 e 22 de janeiro de 2021, no Centro de Eventos Centrosul, em Florianópolis-SC, nas reuniões do CREA-SC. Nas reuniões das Câmaras Especializadas, que antecederam a Sessão Plenária, foram eleitos os novos Coordenadores das Câmaras Especializadas. O Eng. Mec. Ernani Costa foi Eleito Coordenador Adjunto na Câmara Especializadas de Engenharia Mecânica e Industrial – CEEMI.

plenaria_892-13-705x529

Na Sessão Plenária foi realizada a eleição e posse da Diretoria Gestão 2020, além da composição das Comissões Permanentes e Especiais do Conselho.

Posteriormente, nas reuniões das Comissões Permanentes e Comissões Especiais, houve as eleições dos coordenadores e coordenadores adjuntos que conduzirão os trabalhos e atenderão às demandas ao longo do ano de 2021. O Eng. Eletr. Evânio Ramos Nicoleit (Conselheiro Titular na CEEE) foi eleito Coordenador na Comissão de Educação e Atribuição Profissional – CEAP. O Eng. Civil e Seg. Trab. Denis Assis da Silva (Conselheiro Titular na CEEC) foi eleito Coordenador da Comissão de Acessibilidade. Acesse o documento com as relações de Diretores, Coordenadores de Câmaras Especializadas e composições das Comissões Permanentes e Comissões Especiais do CREA‑SC.

fc85104e-d09d-4032-8297-12bc5f5b8c65 (1)

No período da tarde do dia 22 de janeiro de 2021 ocorreu, na sede do CREA-SC, durante a reunião primeira Reunião do Colégio de Diretores Regionais – CDR, a posse do Diretores Regionais das Inspetorias, Escritórios e Postos de Atendimentos do CREA-SC para a gestão 2021/2023. A Engª Civil Kamila Rodrigues da Silva foi empossada Diretora da Inspetoria Regional de Criciúma do CREA-SC. Acesse o documento com os nomes dos Coordenadores e Diretores Regionais empossados.

Na data de 06 de Janeiro de 2021, por meio da Portaria Nº 12/2020/CREA-SC, o Eng. Amb. Ingo Eugênio Dal Pont Verncke, Ex-Diretor da Inspetoria Regional de Criciúma do CREA-SC, foi designado para o cargo de Gerente de Fiscalização do CREA SC.

Resolvi aceitar o desafio a convite do presidente KITA, situação de confiança que muito me deixou honrado.

Todas as reuniões respeitaram as medidas de biossegurança e prevenção ao coronavírus e todos os presentes foram testados, por meio do teste de antígeno, para Covid19.

Cronograma de Reuniões CREA-SC 2021.

Referências:

Aniversário de Criciúma – 141 anos de fundação – 06.01.2021

Image20210106_

Neste dia 06 de Janeiro de 2021, a cidade de Criciúma comemora o aniversário de 141 anos de sua fundação, em 6 de janeiro de 1880, por imigrantes que vieram do norte da Itália.

História de Criciúma – por Archimedes Naspolini Filho

Fonte: NASPOLINI FILHO, Archimedes. História de Criciúma. 2015. Disponível em: http://www.camaracriciuma.sc.gov.br/historia-de-criciuma-autoria-archimedes-naspolini-filho. Acesso em: 06 jan. 2021.

Os Fundadores

Tem-se como oficial a data de 6 de janeiro de 1880 como aquela do início da colonização de Criciúma. Há uma corrente que afirma que os italianos chegaram por aqui no final do ano de 1879. Seis de Janeiro, por ser a data dos Reis Magos e a do aniversário do Cel. Pedro Benedet, um dos imigrantes, foi convencionada como a da chegada dos italianos.

Integrantes de 22 troncos familiares, todos provenientes do Norte da Itália – Vêneto – foram os desbravadores deste município, a saber: Barbieri, Benedet, Billezimo, Casagrande, Dario, Darós, De Lucca, Martinello, Meller, Millanese, Milioli, Netto, Ortolan, Pavan, Piazza, Pierini, Pizzetti, Scotti, Sonego, Tomé, Venzon e Zanette num total de 141 pessoas.

Depois de 30 dias no mar, embarcados no Porto de Gênova, desembarcaram no Rio de Janeiro, baldearam para um outro navio e vieram a Florianópolis. Noutro barco, viajaram até Laguna e, daquele Porto, até Pedras Grandes, então município de Tubarão, em canoas e sobre carroças margeando o rio.

De Pedras Grandes, com o auxílio de carros de boi, cavalos e a pé, viajaram até Urussanga (Rancho dos Bugres) e dali, por picadas abertas por corretores de colônias e aquelas dos tropeiros provenientes do Planalto serrano, rumaram para as colônias que lhes foram reservadas ainda na península itálica.

Em Criciúma, alojaram-se num casarão que permitia – pelo menos – que as mulheres e os mais velhos tivessem um teto para se abrigar.

E começou a jornada. Dura jornada que contou com todas as adversidades imagináveis.

Plantaram a semente. Com muitas lágrimas e suor, regaram a planta dessa semente nascida. Deram-lhe o nome de Cresciúma, nome da vegetação gramínea que abundava suas terras centrais.

Numa crônica alusiva à passagem dos 122 anos de sua fundação, (6.1.02) foi sintetizada a sua história assim: “Criciúma festejou mais um aniversário. Daquele 1880 até aqui são passados 122 janeiros. Cento vinte e dois janeiros que comemoram muita luta, muito trabalho, muita fé, muita esperança, muita saudade. Partir para o eldorado prometido e encontrar as adversidades impostas por uma realidade bem diferente, onde tudo estava por ser feito, deve ter sido ‘uma barra’.

Fala-se da presença de bugres mas, com certeza, estes foram os que menos incomodaram haja vista que, ao final do Século XIX nossos silvícolas já tinham, praticamente, sido expulsos de todo o litoral. Onças e outros animais silvestres, estes sim em abundância, faziam arrepiar os cabelos dos nossos colonizadores.

Os meios de comunicação resumiam-se num caminho de tropeiros procedentes do planalto serrano e daquele percorrido pelos corretores que ganhavam dinheiro mapeando e vendendo colônias. Não havia correio nem telégrafo. Este luxo estava reservado para a praça de Laguna então a metrópole de todo o Sul.

Um misto de muita luta e de muito trabalho deve ter povoado a cabeça de cada um dos imigrantes, homens e mulheres, mulheres e homens que, não tivessem construído o que construíram mereceriam nossas palmas por essa teimosa tenacidade. E a fé. É preciso que nos situemos no tempo para encontrar aquele punhado de gente procedente da mesma região do Norte italiano, economicamente pobres, intelectualmente fracos mas, todos, muito fortes na fé. Fé em Deus a Quem temiam e louvavam na reza de orações que reuniam toda a comunidade numa e noutra casas a cada entardecer. Fé e esperança de que, num futuro não muito distante, a semente que plantassem daria bons frutos.

De muita saudade! Ah, a saudade! Este deve ter sido o mais intenso problema de toda aquela comunidade enfiada no meio do mato, longe da civilização, sem contato com os ficados ultramar. Se nós, nos confortáveis dias de hoje, com Internet e celular à disposição em qualquer lugarejo para nos comunicarmos com o mundo, já sentimos saudade de um ente querido que parte para um país distante, imaginemos qual teria sido a intensidade desse sentimento na cabeça de cada imigrante que deixou para trás, para nunca mais ser visto, todo um passado constituído de gente e de valores!?

A saudade deve ter sido descabidamente grande. Mas a italianada suportou. E cada lágrima foi colhida para regar a esperança de um grandioso futuro para os seus descendentes. E foi assim, de lágrima em lágrima, de saudade e de alegria, de dor e de esperança que ‘Criciúma nasceste menina, foi teu berço plasmado em carvão’ e hoje és esta aurora que brilha na constelação brasileira orgulhando a velha Itália por teres sido fundada por seus filhos no janeiro de 122 anos atrás. E parabéns ao Sr. Antonio Zanette compositor de “Criciúma de tanti genari”, tão bem interpretado pelo Coral Seis de Janeiro. Auguri, italiani! Parabéns Criciúma!”

Cresciúma X Criciúma

O topônimo foi mudado para CRICIÚMA por uma iniciativa unilateral do agente da Estrada de Ferro que, não tendo interpretado o texto de um decreto do Presidente Getúlio Vargas, fez a troca para diferenciar de uma outra estação da malha ferroviária brasileira.

Emancipação

Criciúma foi território e distrito do município de Araranguá, do qual se desmembrou em 1925. Sua instalação se deu dia 1º de janeiro de 1926 com as posses de Marcos Rovaris, Superintendente; Francisco Meller e José Gaidzinski, suplentes do Superintendente; Pedro Benedet, Fábio Silva, Gabriel Arns, Olivério Nuernberg e Henrique Dal Sasso, Conselheiros.

A Comarca de Criciúma foi criada em 1944. Hoje é de 4a. entrância, com oito varas.

Do seu território foram desmembrados os Municípios de Nova Veneza, Içara e Forquilhinha.

O Carvão Mineral

Foi descoberto, por acaso, por Giácomo Sonego, em 1893. Dias depois de queimar uma coivara em suas propriedades, notou que algumas pedras fumegavam. Para satisfazer a curiosidade, pediu que Benjamim Bristot levasse-as para a fornalha de sua ferraria. As pedras queimavam, mesmo. Feitas as observações em laboratórios do Rio de Janeiro, veio a resposta: estava descoberto o carvão mineral que, extraído em escala industrial até os anos 70, se transformou na pedra angular de todo o processo de desenvolvimento de toda a região polarizada por Criciúma.

Diversificação Industrial

A partir dos anos 70, o carvão foi dando lugar, paulatinamente, a uma gama enorme de iniciativas industriais que transformaram a face de Criciúma. Grupos empresariais foram constituídos e o carvão, já no final dos anos 90, deixou de ser explorado em todo o território municipal. Hoje Criciúma desponta como um centro tecnológico, cerâmico, plástico e de confecções. A indústria da construção civil está em plena ascensão e a metragem quadrada construída a cada ano é uma das mais altas de todo o Estado catarinense.

Educação

Somente a partir de 1957 Criciúma passou a contar com estabelecimento de ensino de 2º grau. Em 1966, foi criada a Fundação Educacional de Criciúma à qual foram acometidas as sagradas tarefas de implantar o ensino superior em seu território. Aquela Fundação, em 1998, receberia a aprovação para se transformar em universidade: Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina, UNESC, com diversos cursos de graduação e de pós-graduação. Somam-se a UNESC diversas outras escolas isoladas que ministram cursos de nível superior.

Cultura

A Fundação Cultural de Criciúma catalisa as ações voltadas à cultura especialmente no resgate de nossos costumes. Festas como Corpus Christi, Santa Bárbara, Natal, Seis de Janeiro e Carnaval fazem parte de um rico calendário de eventos do Município.

A Academia Criciumense de Letras, fundada em 1997, por sua vez, é o centro irradiador das ações dos criciumenses voltadas às letras. Criciúma, hoje, é uma das praças que mais editam livros no território barriga-verde.

Esportes

No campo amador, a Fundação Municipal de Esportes e a Liga Atlética da Região Mineira coordenam a área desportiva com muita competência. Competições em nível local, regional e até nacional têm sido programadas e executadas com singular eficácia. Na área profissional o CRICIUMA ESPORTE CLUBE tem sido o referencial. Várias vezes campeão catarinense de futebol e, em 1991, Campeão da Copa Brasil, o ‘Tigre’ – como é carinhosamente chamado por seus torcedores – tem proporcionado grandes pugnas futebolísticas para a grande Região do Sul de Santa Catarina.

O Criciúma Esporte Clube já conquistou, também, os títulos do campeonato brasileiro da série B (2002) e da série C (2006).

Política

A maioria dos partidos políticos constituídos no Brasil contam com diretório organizado em Criciúma.

Administração – Lista de prefeitos do município de Criciúma, estado brasileiro de Santa Catarina

Nome Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
1 Marcos Rovaris Partido Republicano Catarinense – PRC 1926 18 de outubro de 1930 Intendente
2 Cincinato Naspolini Aliança Liberal – AL 18 de outubro de 1930 julho de 1933 Prefeito nomeado
3 Elias Angeloni julho de 1933 1944 Prefeito nomeado
4 Hercílio Amante Partido Trabalhista Brasileiro – PTB 1944 1944 Prefeito nomeado
5 Elias Angeloni 1944 1945 Prefeito nomeado
6 Addo Caldas Faraco 1945 1945 Prefeito nomeado
7 Alfredo Bortoluzzi 1945 6 de janeiro de 1947 Prefeito nomeado
8 João Carlos de Campos 6 de janeiro de 1947 25 de agosto de 1947 Prefeito nomeado
9 Carlos Otaviano Serra 25 de agosto de 1947 1947 Prefeito nomeado
10 Addo Caldas Faraco Partido Social Democrático – PSD 1947 1949  
11 Luiz Lazzarin Partido Social Democrático – PSD 1949 1949  
12 Addo Caldas Faraco Partido Social Democrático – PSD 1949 1951  
13 Paulo Preis Partido Social Democrático – PSD 1951 1955 Prefeito eleito – renunciou o mandato
14 Sinval Rosário Boherer Partido Social Democrático – PSD 1955 15 de março de 1955 Vice-prefeito eleito no cargo de prefeito
15 Napoleão de Oliveira 15 de março de 1955 31 de janeiro de 1956 Prefeito eleito indiretamente pela Câmara
16 Addo Caldas Faraco Partido Social Democrático – PSD 31 de janeiro de 1956 1961 Prefeito eleito em sufrágio universal
17 Nery Jesuíno da Rosa Partido Trabalhista Brasileiro – PTB 1961 4 de outubro de 1963 Prefeito eleito em sufrágio universal
18 Arlindo Junkes Partido Social Democrático – PSD 17 de outubro de 1963 2 de janeiro de 1966 Prefeito eleito em sufrágio universal
19 Rui Hülse União Democrática Nacional – UDN 2 de janeiro de 1966 2 de fevereiro de 1970 Prefeito eleito em sufrágio universal
20 Nelson Alexandrino (João Sonego) Movimento Democrático Brasileiro – MDB 2 de fevereiro de 1970 1º de fevereiro de 1973 Prefeito eleito em sufrágio universal
21 Algemiro Manique Barreto (Fidelis Bach) Aliança Renovadora Nacional – ARENA 1º de fevereiro de 1973 31 de janeiro de 1977 Prefeito eleito em sufrágio universal
22 Altair Guidi (Mário Sônego) Aliança Renovadora Nacional – ARENA 31 de janeiro de 1977 31 de janeiro de 1983 Prefeito eleito em sufrágio universal
23 José Augusto Hülse [1] (Roseval José Alves) Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB 31 de janeiro de 1983 31 de dezembro de 1988 Prefeito eleito em sufrágio universal
24 Altair Guidi (Ademir Uggioni) Partido Democrático Social – PDS 1º de janeiro de 1989 31 de dezembro de 1992 Prefeito eleito em sufrágio universal
25 Eduardo Moreira (Anderlei Antonelli) Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB 1º de janeiro de 1993 31 de dezembro de 1996 Prefeito eleito em sufrágio universal
26 Paulo Meller (Maria Dal Farra Naspolini) Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB 1º de janeiro de 1997 31 de dezembro de 2000 Prefeito eleito em sufrágio universal[2]
27 Décio Góes (Carlos Alberto Barata) Partido dos Trabalhadores – PT 1º de janeiro de 2001 3 de janeiro de 2005 Prefeito eleito em sufrágio universal[3]
28 Sérgio Pacheco Partido Progressista – PP 3 de janeiro de 2005 29 de abril de 2005 Prefeito interino
Anderlei Antonelli (Gelson Hercílio Fernandes) Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB 29 de abril de 2005 31 de dezembro de 2008 Prefeito eleito segundo colocado. Assumiu com a cassação de Décio Góes.
29 Clésio Salvaro Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB 1º de janeiro de 2009 31 de dezembro de 2012 Prefeito eleito em sufrágio universal[4]
Itamar da Silva [5] Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB 1º de janeiro de 2013 31 de março de 2013 Prefeito interino
30 Márcio Búrigo [6] Partido Progressista – PP 1º de abril de 2013 15 de janeiro de 2015 Prefeito eleito em eleição suplementar de 03.03.2013
Clésio Salvaro Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB 15 de janeiro de 2015 27 de fevereiro de 2015 Prefeito empossado após decisão judicial que validou a eleição ocorrida em 07/10/2012
Márcio Búrigo Partido Progressista – PP 27 de fevereiro de 2015 31 de dezembro de 2016 Prefeito eleito em eleição suplementar de 03.03.2013, reempossado após decisão judicial
31 Clésio Salvaro Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB 1º de janeiro de 2017 31 de dezembro de 2020 Prefeito eleito em sufrágio universal
32 Clésio Salvaro Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB 1º de janeiro de 2021 31 de dezembro de 2024 Prefeito eleito em sufrágio universal
  1.  Eleições 1982, resultado do município de Criciúma
  2.  «Eleições 1996»www.tse.jus.br. Consultado em 5 de maio de 2020
  3.  «Eleições 2000»www.tse.jus.br. Consultado em 5 de maio de 2020
  4.  «Eleições 2008»www.tse.jus.br. Consultado em 5 de maio de 2020
  5.  Itamar da Silva toma posse como prefeito interino de Criciúma
  6.  Márcio Burigo é eleito prefeito de Criciúma, no Sul de Santa Catarina

As eleições de 3 de outubro de 2004 apontaram Décio Gomes Góes, candidato à reeleiçäo, com Edílson Medeiros a vice-prefeito. Vencedores. O Tribunal Regional Eleitoral, em decisäo confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral, julgando ação que imputou crime eleitoral à referida chapa, determinou a diplomação e a posse de Anderlei Antonelli – Gelson Fernandes.

Sinopse

Fundação – 6 de janeiro de 1880.
Emancipação – 4 de novembro de 1925.
Instalação – 1º de janeiro de 1926.
Apelido – “Capital do Carvão”
População: 217.311 habitantes (Estimativa IBGE/2020[2])
Eleitores (em duas zonas eleitorais): 146.326 eleitores aptos a votar nas eleições de 2020 – Informação do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC)
Área: 209,20 km2.
Posição Geográfica: 46 metros acima do nível do mar.
Coordenadas Geográficas: 28º40’28”de latitude sul e 49º22’02”de longitude W.GR.
Sede da microrregião do carvão e da Associação dos Municípios da Região Carbonífera – AMREC
Limites: Norte com Morro da Fumaça e Cocal do Sul; Sul, com Forquilhinha e Maracajá; Leste com Araranguá e Içara; Oeste com Siderópolis e Nova Veneza.

Página do Facebook com Álbuns, Fotos e Vídeos de Criciúma ao Longo da História

FotosAntigasCriciúma

 

Informativo Digital No. 01 / 2020

INFORMATIVO DIGITAL ASCEA 01/2020

Veja aqui todas as publicações.

A ASCEA deseja um Feliz Natal e um Ano Novo de muitas Alegrias.

2020 M12 D25 - Natal2020

Natal é renascimento.
É tempo de união, paz e reflexão.

E que o Ano Novo seja um novo tempo.
Para acreditar e transformar o mundo
Em um lugar onde os sonhos se
tornem realidade.

A Diretoria da ASCEA deseja a todos os associados, familiares e amigos um Feliz e Abençoado Natal, com muita alegria, harmonia e amor. Que o ano de 2021 seja iluminado, com saúde, paz, tolerância, sabedoria, perseverança, fé, respeito, desafios, e muitas conquistas.

Boas Festas !!!

Eng.a Civil Kamila Rodrigues da Silva
Presidente da ASCEA